Rio de Janeiro, 28 de junho de 2017 02:11 Ver em Português See in English Ver en Español
Pesquise na Abraman:
Digite algo
Facebook Linkedin Twitter Youtube
Notícias Curitiba abriga maior evento de Manutenção e Gestão de Ativos da AL

Congresso e feira reúnem principais empresas e profissionais especializados do setor

Expectativa é de forte demanda de serviços em função de adiamento de modernização de plantas industriais e ativos parados

Curitiba 19 de outubro de 2016 – Os desafios da manter e gerenciar ativos estratégicos em tempos de crise, com desaquecimento e paralisação e redução da atividade industrial em diversos segmentos – como petróleo e gás, mineração, siderurgia, química e petroquímica, automotivo, entre outros – são o foco dos debates do maior evento da América Latina nesse setor: o 31º Congresso Brasileiro de Manutenção e Gestão de Ativos, que vai até o dia 21 de outubro, no Campus de Convenção da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP), em Curitiba.

“Manutenção, Gestão de Ativos e o Desafio da Escassez de Recursos” é o tema do congresso desse ano, que está sendo realizado em conjunto com o IV Seminário Nacional de Manutenção e Gestão de Ativos do Setor Elétrico, e as feiras Expoman/Expomase. O evento múltiplo, que reúne os principais fornecedores de bens e serviços, assim como os maiores especialistas do Brasil e da América Latina nessa área, é promovido pela Associação Brasileira de Manutenção e Gestão de Ativos (ABRAMAN) e tem o patrocínio da Itaipu Binacional, Copel, Comau, Deloitte, QualiDados, Senai e Vivante, e apoio da Braidotti e Gestalent.

“Diante de uma crise sem precedentes, que impactou indústrias estratégicas para a economia do país, a manutenção e gestão de ativos passam a ser garantia de operacionalidade, lucratividade e perenidade das empresas, sobretudo nos segmentos que possuem estruturas complexas, com multiplicidade de processos, envolvendo atividades de risco e uso intensivo de tecnologias”, destacou Rogério Arcuri Filho, presidente do Conselho da Abraman, na abertura do evento, dia 18.

Ele destaca alguns números do Documento Nacional 2015 (DN 2015), pesquisa realizada a cada dois anos pela Abraman em cerca de 25 setores produtivos, com mais de 40 indicadores em 8 diferentes áreas de interesse da função), que refletem o peso desse segmento na atividade industrial.  “Na média nacional por setores, 30% da força de trabalho própria das empresas é empregada na manutenção, com os custos de pessoal (próprio mais contratado) representando quase 40% do total da função. Considerando o gasto total de manutenção no Brasil em 2015, de R$ 195 bilhões (calculado a partir do valor de 3,31% do custo de manutenção por faturamento tabulado sobre o PIB de 2015, de R$ 5,90 trilhões), estima-se que mais de R$ 78 bilhões foram gastos em capital humano nessa área”, contabiliza Arcuri.

Razão pela qual a expectativa dos expositores da feira, que tem um perfil técnico e de serviços, é de que o segmento de manutenção tem potencial para crescer em uma economia ainda em crise, na qual há empreendimentos em compasso de espera e projetos de modernização foram postergados. O que demandará uma manutenção contínua e gestão severa para assegurar a integridade dos ativos, inclusive dos equipamentos parados.

“O Brasil tem um parque produtivo maduro, razão pela qual vive um duplo desafio. Primeiro, o de garantir a manutenção eficiente e eficaz das unidades fabris, plataformas offshore, refinarias, usinas, centrais e plantas industriais para que elas continuem operando na sua capacidade máxima, ao mesmo tempo em que deve implementar modernizações e melhorias para aumentar a produtividade, qualidade e competitividade, gerando produtos de maior valor agregado. Segundo, o de assegurar a preservação de inúmeros ativos que se encontram paralisados, desde peças e equipamentos a unidades inteiras adquiridas para os grandes projetos, de modo a que venham a funcionar perfeitamente quando se fizerem necessários”, conclui Rogério Arcuri Filho.

Fonte: Lettera

ABRAMAN - Associação Brasileira de Manutenção e Gestão de Ativos
Av. Marechal Câmara, 160 - Sala 320 - Edifí­cio Orly - Rio de Janeiro - RJ - Brasil
CEP 20020 080 - Telefone: (55) (21) 3231 7000 - Fax: (55) (21) 3231 7002
Desenvolvido por: