Rio de Janeiro, 17 de janeiro de 2017 08:47 Ver em Português See in English Ver en Español
Pesquise na Abraman:
Digite algo
Facebook Linkedin Twitter Youtube
GESTÃO DE ATIVOS E PAS 55 GESTÃO DE ATIVOS E PAS 55


_______________________________________________________________________________________

PAS 55

Em 1999, a Abraman definiu como uma das ações fundamentais de seu planejamento estratégico a internacionalização da Associação. Dessa forma, a entidade iniciou um processo de aproximação das associações congêneres e estabeleceu acordos de cooperação com estas organizações.

Dez anos mais tarde, em março de 2009, foi criado o Global Forum on Maintenance & Asset Management - GFMAM, cuja sede fica na cidade de Zurich na Suíça. A partir de então, as mais importantes associações de Gestão de Ativos do mundo estão trabalhando em conjunto para desenvolver e padronizar publicações, normas, processos de certificação e discutir as questões comuns que afetam estas instituições.

Diante deste objetivo, foi criada a PAS 55, um procedimento técnico com 28 pontos que visa estabelecer uma gestão abrangente e aperfeiçoar o sistema de gestão para todos os tipos de ativos físicos das empresas. A PAS 55 define a Gestão de Ativos como a aplicação de atividades sistemáticas e coordenadas, através da qual uma organização realiza a gestão, de forma otimizada e sustentável, de seus ativos e sistemas de ativos e sua performance associada, riscos e custos ao longo do seu ciclo de vida com o objetivo de alcançar o seu planejamento estratégico.

A publicação da PAS 55 em português se deu em uma parceria da Abraman com o British Standards Institution (BSI), o Institute of Asset Management (IAM) da Inglaterra, e a Editora Qualymark. Consolidou-se, assim, um sonho de muitos anos e foi dado um grande passo no processo de colaboração entre países para a Manutenção e Gestão de Ativos.

Atualmente, já se discute a evolução do procedimento para norma, em forma de ISO. A importância de tal discussão foi denotada durante o 28º Congresso Brasileiro e 5° Mundial de Manutenção e Gestão de Ativos / Expoman, em setembro 2013. O tema central do evento, pilar que desenvolveu todas as discussões, foi justamente “Manutenção e Gestão de Ativos: o impacto das novas normas ISO 55000”.

> Para adquirir a PAS 55 em língua portuguesa, clique e acesse a loja virtual da Abraman.

_______________________________________________________________________________________

MBA EM GESTÃO DE ATIVOS

A Abraman criou o MBA em Gestão de Ativos, com objetivo de especializar profissionais de nível superior para utilizar os conceitos, métodos e técnicas inerentes à Gestão de Ativos como elementos de apoio à tomada de decisão nos processos de engenharia, manutenção e operação de sistemas técnicos, buscando aumento de disponibilidade e produtividade.

O MBA em Gestão de Ativos da Abraman está integralmente alinhado à coleção de Normas ISO 55.000 e PAS-55. Além disso, esta especialização atende à visão estratégica do GFMAM (Global Forum on Maintenance & Asset Management), tendo em vista que a Abraman é a única organização autorizada no Brasil a implementar este MBA com o selo do Global Forum.

O primeiro passo para implantação do MBA foi dado em acordos firmados com a Fundação Gorceix, vinculada à Universidade Federal de Ouro Preto - MG (UFOP), e com a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Outras instituições de mesmo gabarito estão em vistas de firmar a parceria com a Abraman.

Os programas terão a coordenação da Comissão de Gestão de Ativos - CGA, e o conteúdo será de alta qualidade, fornecido por executivos nacionais e internacionais reconhecidos.

> Acesse os sites das instituições parceiras:

Fundação Gorceix

UTFPR

> Clique aqui para baixar o flyer de divulgação do MBA em Gestão de Ativos

Clique nos links abaixo e faça download das apresentações da Mesa Redonda Nacional: "Desafios na Formação de Mão de Obra em Gestão de Ativos", que ocorreu durante o 28°CBMGA, 5°CMMGA, EXPOMAN 2013:

> MBA_GA_Alan Kardec
> MBA_GA_Gerson Arcos
> MBA_GA_João Esmeraldo

_______________________________________________________________________________________

ISO 55.000

A Futura Norma Internacional de Gestão de Ativos ISO 55.000

(Por João Ricardo Lafraia, CMRP, Presidente da ABRAMAN)

Em edições anteriores mostramos o que é Gestão Ativos. Nesta vamos debruçar sobre sua definição mais moderna. O primeiro passo é definir o que é um ativo. Ativo (A) é algo que tenha valor real, ou potencial, para uma organização. A definição de valor pode variar entre diferentes tipos de organização e seus públicos de interesse. Pode ser tangível, ou intangível, financeiro, ou não financeiro. Para muitas organizações, ativos físicos costumam referir-se a equipamentos, inventários, propriedades de posse da organização e contrapõem-se aos ativos intangíveis, não físicos, como aluguéis, marcas, ativos digitais, propriedades intelectuais, licenças de uso, reputação e acordos.

Gestão de Ativos (GA) é a atividade coordenada de uma organização para produzir o valor dos ativos, que envolve equilibrar os benefícios de custos, riscos, oportunidades e desempenhos. O termo "atividade" possui significado abrangente e pode incluir, por exemplo, a abordagem, o planejamento, os planos e suas implantações. Refere-se, ainda, à aplicação dos elementos de um sistema de GA.

Sistema de Gestão de Ativos (SGA) é um conjunto de elementos inter-relacionados e interativos de uma organização que estabelece políticas e objetivos bem como o processo necessário para o alcance destes objetivos. O SGA é, portanto, um sistema de gestão aplicado à GA e os elementos do sistema podem ser definidos com um conjunto de ferramentas que inclui políticas, planos, operações, desenvolvimento de competências e sistemas de informações, que são integrados para apoiar a GA.

Estas definições estão coerentes com a futura coleção de Normas Internacional ISO 55.00X que entrou em sua reta final na semana de 29 de abril a 3 de maio passado. Calgary, no Canadá, foi palco de um laborioso trabalho que reuniu, aproximadamente, 70 participantes, especialistas em GA, de 31 países.

Esta foi a sexta e última reunião internacional destinada à redação destes documentos tão esperados pelas organizações, antes do processo de votação para sua aprovação, que deverá ocorrer nos próximos 6 meses.

As ISO-5500X começaram a ser elaboradas em fevereiro de 2010, em Londres, pelo comitê PC-251 da ISO. Em fevereiro de 2011, passou pela Austrália e, em outubro, pelos EUA. Em fevereiro de 2012, os debates foram realizados na África do Sul, em junho na República Tcheca e, finalmente, em abril de 2013, no Canadá.  Neste período foram produzidas mais de 250 atas de reunião, com informações relevantes à Gestão de Ativos.

A coleção de documentos encontra-se em sua última versão (FDIS – Final Draft of International Standard), pronta para o processo final de votação para aprovação e publicação, o que deverá ocorrer antes do final de 2013.

Estão sendo elaboradas 3 normas:

- ISO-55000 (Gestão de Ativos – Visão geral, fundamentos e terminologia) que trata da definição de Ativos, Gestão de Ativos e Sistema de Gestão de Ativos no sentido mais amplo, bem como os termos e definições usadas nesta área.

- ISO-55001 (Requisitos para Sistema de Gestão de Ativos) que trata dos requisitos necessários para um Sistema de Gestão de Ativos integrado e efetivo.

- ISO-55002 (Guia para implantação de Sistema de Gestão de Ativos) que fornece exemplo e/ou guia para a implantação do Sistema de Gestão de Ativos.

Os quatros princípios de Gestão de Ativos descritos na ISO-55.000 são:

- Ativos existem para fornecer valor para a organização e partes interessadas.

- Gestão de Ativos transforma a intenção estratégica em tarefas, decisões, atividades técnicas e financeiras.

- Liderança e cultura do local de trabalho são determinantes da percepção de valor.

- Gestão de Ativos fornece garantia de que os ativos vão cumprir e desempenhar a sua função.

Rhys Davies, especialista inglês do Institute of Asset Management (IAM) é o coordenador geral do ISO/PC-251. Celso de Azevedo e Edmea Adell, representantes da França; John Hardwick, da Austrália, Presidente do Global Fórum para Manutenção e GA, Presidente da Associação Australiana de GA; David McKeown, CEO do IAM, Inglaterra; John Woodhouse, especialista do IAM, Inglaterra; Ramesh Gulati, especialista do SMRP, EUA, entre outros, estiveram presentes em Calgary e contribuiram com as evoluções, inovações e tendências mais relevantes para esta nova coleção de normas internacionais.

No Brasil, a ABRAMAN, em parceria com o Instituto Brasileiro do Cobre, coordena a adequação da coleção para o português na Comissão da ABNT/CEE-251 (Comissão de Estudo Especial de Gestão de Ativos). Mais de 25 representantes de 15 organizações brasileiras estão envolvidos. A comissão brasileira, em nome da ABNT, é o órgão responsável pela emissão de normas no Brasil. A meta é publicar a norma em português simultaneamente à publicação em inglês e francês, as línguas oficiais da ISO.

A coleção de normas ISO 55.001 fornece princípios, requisitos e orientações para um Sistema de Gestão de Gestão de Ativos (abreviado para Sistema de Gestão de Ativos – SGA) e aborda requisitos como a implantação dos princípios de GA e a documentação de quais ativos fazem parte do SGA e são escopo do Sistema de Gestão. Trata, ainda, da integração dos processos decisórios com relação aos técnicos e financeiros, particularmente no que diz respeito aos processos decisórios sobre GA e demonstrações contábeis e financeiras. Destaca, também, a implantação de um processo decisório com foco no balanceamento entre os fatores riscos, custos e desempenho dos ativos.

A maturidade do processo de GA não faz parte do escopo desta coleção. A integração dos processos técnicos e financeiros é descrito de maneira genérica e cada organização deverá estabelecer como isto ocorrerá, através do seu planejamento estratégico, do contexto operacional e das normas financeiras especificamente adotadas.

A coleção estabelece que a organização inclua como o valor (desempenho) pode ser proporcionado pelo SGA, não se limitando ao desempenho financeiro, à gestão de risco, ao desempenho de produção e de serviços, responsabilidade social, reputação e conformidade. A escolha entre os fatores relevantes será responsabilidade da organização.

A decisão sobre o estabelecimento de indicadores proativos e reativos também será uma opção da própria organização em função de sua estratégia e contexto operacional.

É importante ressaltar que a coleção ISO-55000 não substitui nenhuma norma de sistema de gestão da série 9000, 14.000, 18.000, 31.000, 50.000, mas trabalha em conjunto e, complementarmente, com cada um destes sistemas. A ISO está trabalhando na confecção de uma norma para integração de todos estes sistemas de gestão através de um guia padrão conhecido com guia 83.

Para a certificação ISO-55001, o ISO/TC-251 está avaliando os requisitos que serão exigidos para os auditores. Durante a elaboração da norma, várias partes interessadas manifestaram interesse que os auditores dos sistemas de GA tenham conhecimentos comprovados em boas práticas, aplicações e um panorama geral da GA. Está em estudo uma certificação específica para estes auditores, que poderá ser conduzida pelas associações locais, como a ABRAMAN, sob orientação técnica de um organismo internacional, como o GFMAM- Global Forum for Maintenance and Asset Management.

Novos aspectos conceituais e práticos foram incorporados nesta coleção de Normas. Mas não devemos perder de vista que GA é uma só. Esta premissa é essencial para posicionarmos as inovações da ISO-5500x no prolongamento do trabalho iniciado, com brilho, pela BSI PAS 55, traduzida para o português pela ABRAMAN, sobre a qual falaremos na próxima edição.

> Clique aqui e baixe a apresentação do Comitê ABNT-CEE-251, durante o 28°CBMGA, 5°CMMGA, EXPOMAN 2013

_______________________________________________________________________________________

CULTURA E LIDERANÇA

“O jeito que você gerencia é o jeito que sua cultura é”

O Presidente da Abraman, Engenheiro João Ricardo Barusso Lafraia, explica que Cultura Organizacional é um fenômeno complexo que precisa ser entendido para os resultados serem alcançados. “Em geral é tudo que separa o comportamento humano dos animais na forma como entendemos o mundo e como o transformamos. Temos um exemplo bem claro do que é cultura. No Brasil, a vaca lembra comida, enquanto na Índia é um símbolo religioso”, explica. Lafraia acrescenta que os símbolos dependem da nossa cultura, portanto as organizações são entidades simbólicas, que se comportam de acordo com o mapa mental de seus membros.

O Engenheiro ressalta que é preciso seguir e respeitar conceitos importantes no desenvolvimento da Cultura Organizacional. “Valores definem como agimos; modelos fornecem exemplos de comportamentos desejados; ritos e rituais definem o que fazemos e como reforçar isso; e a infraestrutura cultural define coisas e atividades que apoiam os valores. O jeito que você gerencia é o jeito que sua cultura é”, afirma. Ele diz que para mudar a cultura da empresa é preciso mudar todos os conceitos e entendê-los.

Para Lafraia, a liderança muda o comportamento e a cultura, por estabelecer antecedentes e consequências. “Quando falamos de liderança estamos falando de poder. Liderança é o processo de executar o poder”, afirma. “O líder é uma pessoa, mas a liderança é uma função no processo que atravessa toda a organização. O líder tem que estar presente, falar, convencer, reforçar”, conclui.

> Assista ao vídeo completo com a palestra do presidente da Abraman:

 

Revista australiana publica artigo sobre o livro “Living Asset Management”

A edição de maio de 2013 da revista australiana Engineers Australia Magazine publicou um artigo sobre o livro Living Asset Management, de co-autoria de João Ricardo Lafraia, presidente da Abraman.

No texto é ressaltada a importância de fatores como liderança e cultura no âmbito da gestão de ativos. É destacado também que o sucesso do segmento se deve, principalmente, à disciplina, resultando em alta performance das corporações que adotam esse sistema.

> Clique e leia o artigo na íntegra

> Acompanhe notícias atualizadas na home page Living Asset Management

> Clique e baixe pdf do flyer promocional do livro Living Asset Management

> Acesse também o site da Engineers Media, que publica a Revista EA (Engineers Austrália)

 

_______________________________________________________________________________________

GESTÃO DE ATIVOS NO SETOR ELÉTRICO

A Abraman formou o Comitê de Manutenção e Gestão de Ativos do Setor Elétrico com a finalidade de agregar as centenas de empresas do segmento para debatê-lo, propondo melhorias e planejando o caminho que deverá contornar a situação de turbulência da área. É a velha premissa do associativismo: juntos somos fortes.

Clique nos links abaixo e faça download das apresentações da Mesa Redonda Nacional - "Novos Desafios no Setor Elétrico: Gestão de Ativos", que ocorreu durente o 28°CBMGA, 5°CMMGA, EXPOMAN 2013:

> Mesa GA_SE_Cesar Barros
> Mesa GA_SE_Ricardo Almeida

 

_______________________________________________________________________________________

ABRAMAN - Associação Brasileira de Manutenção e Gestão de Ativos
Av. Marechal Câmara, 160 - Sala 320 - Edifí­cio Orly - Rio de Janeiro - RJ - Brasil
CEP 20020 080 - Telefone: (55) (21) 3231 7000 - Fax: (55) (21) 3231 7002
Desenvolvido por: